Loading...

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Pós-Graduação em Língua Brasileira de Sinais-LIBRAS


 


Curso de Pós-Graduação

 

 

Lato Sensu em Língua Brasileira de Sinais

( Libras)


Carga horária: 600h

 

Início: Abril

 

Aos sábados / 5ª e 6ª à noite.

 

Inscrições: Faculdade da Alta Paulista (FAP)

 

Rua Mandaguaris, 1010, centro , Tupã, SP
 

Fone: (14) 34 04 38 62 - Ramal: 3885 (Giseli)

 A primeira turma já terminou o curso!


 

Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

 

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto na Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, e no art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000,

 

DECRETA:

CAPÍTULO I

 

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

 


Art. 2o Para os fins deste Decreto, considera-se pessoa surda aquela que, por ter perda auditiva, compreende e interage com o mundo por meio de experiências visuais, manifestando sua cultura principalmente pelo uso da Língua Brasileira de Sinais - Libras.

Parágrafo único. Considera-se deficiência auditiva a perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas freqüências de 500Hz, 1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz.

 

 

CAPÍTULO II

 

DA INCLUSÃO DA LIBRAS COMO DISCIPLINA CURRICULAR

 

Art. 3o A Libras deve ser inserida como disciplina curricular obrigatória nos cursos de formação de professores para o exercício do magistério, em nível médio e superior, e nos cursos de Fonoaudiologia, de instituições de ensino, públicas e privadas, do sistema federal de ensino e dos sistemas de ensino dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

 

§ 1o Todos os cursos de licenciatura, nas diferentes áreas do conhecimento, o curso normal de nível médio, o curso normal superior, o curso de Pedagogia e o curso de Educação Especial são considerados cursos de formação de professores e profissionais da educação para o exercício do magistério.

 

§ 2o A Libras constituir-se-á em disciplina curricular optativa nos demais cursos de educação superior e na educação profissional, a partir de um ano da publicação deste Decreto.

 

 

 
CAPÍTULO III

 

DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LIBRAS E DO INSTRUTOR DE LIBRAS



Art. 4o A formação de docentes para o ensino de Libras nas séries finais do ensino fundamental, no ensino médio e na educação superior deve ser realizada em nível superior, em curso de graduação de licenciatura plena em Letras: Libras ou em Letras: Libras/Língua Portuguesa como segunda língua.


Parágrafo único. As pessoas surdas terão prioridade nos cursos de formação previstos no caput.

 
Art. 5o A formação de docentes para o ensino de Libras na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental deve ser realizada em curso de Pedagogia ou curso normal superior, em que Libras e Língua Portuguesa escrita tenham constituído línguas de instrução, viabilizando a formação bilíngüe.

 
§ 1o Admite-se como formação mínima de docentes para o ensino de Libras na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, a formação ofertada em nível médio na modalidade normal, que viabilizar a formação bilíngüe, referida no caput.


§ 2o As pessoas surdas terão prioridade nos cursos de formação previstos no caput.

 

Art. 6o A formação de instrutor de Libras, em nível médio, deve ser realizada por meio de:



I - cursos de educação profissional;


II - cursos de formação continuada promovidos por instituições de ensino superior; e


III - cursos de formação continuada promovidos por instituições credenciadas por secretarias de educação.


§ 1o A formação do instrutor de Libras pode ser realizada também por organizações da sociedade civil representativa da comunidade surda, desde que o certificado seja convalidado por pelo menos uma das instituições referidas nos incisos II e III.


§ 2o As pessoas surdas terão prioridade nos cursos de formação previstos no caput.

 
Art. 7o Nos próximos dez anos, a partir da publicação deste Decreto, caso não haja docente com título de pós-graduação ou de graduação em Libras para o ensino dessa disciplina em cursos de educação superior, ela poderá ser ministrada por profissionais que apresentem pelo menos um dos seguintes perfis:


I - professor de Libras, usuário dessa língua com curso de pós-graduação ou com formação superior e certificado de proficiência em Libras, obtido por meio de exame promovido pelo Ministério da Educação;

 

II - instrutor de Libras, usuário dessa língua com formação de nível médio e com certificado obtido por meio de exame de proficiência em Libras, promovido pelo Ministério da Educação;


III - professor ouvinte bilíngüe: Libras - Língua Portuguesa, com pós-graduação ou formação superior e com certificado obtido por meio de exame de proficiência em Libras, promovido pelo Ministério da Educação.

 
§ 1o Nos casos previstos nos incisos I e II, as pessoas surdas terão prioridade para ministrar a disciplina de Libras.

 
§ 2o A partir de um ano da publicação deste Decreto, os sistemas e as instituições de ensino da educação básica e as de educação superior devem incluir o professor de Libras em seu quadro do magistério.


Art. 8o O exame de proficiência em Libras, referido no art. 7o, deve avaliar a fluência no uso, o conhecimento e a competência para o ensino dessa língua.

 
§ 1o O exame de proficiência em Libras deve ser promovido, anualmente, pelo Ministério da Educação e instituições de educação superior por ele credenciadas para essa finalidade.


§ 2o A certificação de proficiência em Libras habilitará o instrutor ou o professor para a função docente.


§ 3o O exame de proficiência em Libras deve ser realizado por banca examinadora de amplo conhecimento em Libras, constituída por docentes surdos e lingüistas de instituições de educação superior.

Art. 9o A partir da publicação deste Decreto, as instituições de ensino médio que oferecem cursos de formação para o magistério na modalidade normal e as instituições de educação superior que oferecem cursos de Fonoaudiologia ou de formação de professores devem incluir Libras como disciplina curricular, nos seguintes prazos e percentuais mínimos:

 
I - até três anos, em vinte por cento dos cursos da instituição;

 
II - até cinco anos, em sessenta por cento dos cursos da instituição;


III - até sete anos, em oitenta por cento dos cursos da instituição; e

 
IV - dez anos, em cem por cento dos cursos da instituição.

 
Parágrafo único. O processo de inclusão da Libras como disciplina curricular deve iniciar-se nos cursos de Educação Especial, Fonoaudiologia, Pedagogia e Letras, ampliando-se progressivamente para as demais licenciaturas.


Art. 10. As instituições de educação superior devem incluir a Libras como objeto de ensino, pesquisa e extensão nos cursos de formação de professores para a educação básica, nos cursos de Fonoaudiologia e nos cursos de Tradução e Interpretação de Libras - Língua Portuguesa.


Art. 11. O Ministério da Educação promoverá, a partir da publicação deste Decreto, programas específicos para a criação de cursos de graduação:


I - para formação de professores surdos e ouvintes, para a educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, que viabilize a educação bilíngüe: Libras - Língua Portuguesa como segunda língua;


II - de licenciatura em Letras: Libras ou em Letras: Libras/Língua Portuguesa, como segunda língua para surdos;


III - de formação em Tradução e Interpretação de Libras - Língua Portuguesa.



Art. 12. As instituições de educação superior, principalmente as que ofertam cursos de Educação Especial, Pedagogia e Letras, devem viabilizar cursos de pós-graduação para a formação de professores para o ensino de Libras e sua interpretação, a partir de um ano da publicação deste Decreto.

 
Art. 13. O ensino da modalidade escrita da Língua Portuguesa, como segunda língua para pessoas surdas, deve ser incluído como disciplina curricular nos cursos de formação de professores para a educação infantil e para os anos iniciais do ensino fundamental, de nível médio e superior, bem como nos cursos de licenciatura em Letras com habilitação em Língua Portuguesa.
 

Parágrafo único. O tema sobre a modalidade escrita da língua portuguesa para surdos deve ser incluído como conteúdo nos cursos de Fonoaudiologia.

 

Calendário de atribuição de aulas de 2013



20130109_atribuicao_de_aulas_2013_2_1099_1099


Saiba como será a atribuição de aulas, que começa no próximo dia 23


20130111_atribuio_620
Com a divulgação do calendário da atribuição de aulas para o ano letivo de 2013, professores efetivos e temporários devem ficar atentos às datas e locais nas quais cada categoria deverá formar sua jornada de trabalho. Consulte o calendário abaixo, no final do texto.


Os primeiros a escolher suas aulas são os professores titulares de cargo, que devem comparecer na escola onde já atuam no dia 23 pela manhã. À tarde, o professor que não teve todas as aulas atribuídas na escola deve concluir o procedimento na Diretoria de Ensino.

Na terça-feira (24), a parte da manhã será destinada a atender os titulares que queiram ampliar a jornada de trabalho ou requerer carga suplementar. Essa escolha será feita na escola. Quem não conseguiu a carga suplementar no período diurno, à tarde poderá tentar a suplementação na Diretoria de Ensino.


A atribuição dos docentes não efetivos começa no dia 28 de janeiro. No início da atribuição desses professores, a prioridade na hora da escolha é daqueles considerados estáveis, ou seja, professores que já lecionam na rede há certo tempo e conquistaram direitos semelhantes aos dos docentes efetivos. Em seguida, a preferência será dos professores contratados em regime CLT e, por fim, dos docentes considerados Categoria F. Esses três grupos de professores farão a atribuição de aulas nas escolas onde já atuam.


O processo de atribuição de aulas aos professores temporários é organizado pelas Diretorias de Ensino e, por isso, podem ter datas diferentes em casa região. É importante que o professor fique atento ao cronograma, que deve estar disponível no site da Diretoria de Ensino. Visitar a sede do órgão regional também é uma forma de garantir que o docente não perca as datas para a atribuição de aulas.
Entre os dias 1 e 4, os docentes que desejam suplementar sua jornada e os candidatos à contratação interessados em atribuir aulas em outra Diretoria de Ensino, devem se cadastrar no Portal GDAE.
 


quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Não julgue as pessoas

PENA DE QUEM NÃO VAI LER POR PREGUIÇA ! 

Um médico entrou no hospital com pressa depois de ser chamado a uma cirurgia de emergência. Ele respondeu ao chamado, o mais rápido possível, mudou de roupas e foi diretamente para o bloco cirúrgico. Ele encontrou o pai do menino indo e vin
do na sala de espera do médico. Depois de vê-lo, o pai gritou:

"Por que você tomou todo esse tempo para vir, não sabia que a vida de meu filho está em perigo... você não tem senso de responsabilidade??"

O médico sorriu e disse: "Desculpe, eu não estava no hospital e eu vim o mais rápido que pude depois de receber a chamada... E agora, eu gostaria que você se acalma-se para que eu possa fazer o meu trabalho"

"Me acalmar? E se fosse seu filho quem estivesse nesta sala agora, você estaria calmo? Se o seu filho fosse agora o que estivesse morrendo?" Disse o pai irritado

O médico sorriu novamente e respondeu:. "Eu vou dizer o que disse Jó na Bíblia "Do pó viemos e ao pó voltaremos, bendito seja o nome de Deus" Os médicos não podem prolongar a vida. Vou interceder por seu filho, vamos fazer todo o possível pela graça de Deus "

"Dar conselhos quando não estamos em situaçao é tão fácil", murmurou o pai.

A cirurgia levou algumas horas, depois que o médico saiu feliz, "Graças a Deus! Seu filho está salvo!"

E sem esperar por uma resposta do pai, com muita pressa olha para o relógio e foge. Ao mesmo tempo que vai, ele disse: "Se você tiver alguma dúvida, pergunte a enfermeira!"

"Por que é tão arrogante? Não podia esperar mais alguns minutos para eu pedir mais informações sobre o estado do meu filho"

E a enfermeira, cheia de lágrimas pelo seu rosto:

"O filho do Dr. morreu ontem em um acidente de estrada, o médico estava no cemitério quando você chamou para realizar a cirurgia do SEU FILHO. E agora que ele salvou a vida de seu filho, ele correu para terminar o sepultamento de seu filho."

Não julgue as pessoas, você não sabe qual é a realidade delas...

Nunca julgue ninguém, porque você nunca sabe nada sobre a vida dessa pessoa e o que está acontecendo na vida dela.

"Se você ler esta mensagem, clique em Compartilhar, para que outras pessoas possam vê-la e refletir sobre isso."Um médico entrou no hospital com pressa depois de ser chamado a uma cirurgia de emergência. Ele respondeu ao chamado, ...o mais rápido possível, mudou de roupas e foi diretamente para o bloco cirúrgico. Ele encontrou o pai do menino indo e vin
do na sala de espera do médico. Depois de vê-lo, o pai gritou:

"Por que você tomou todo esse tempo para vir, não sabia que a vida de meu filho está em perigo... você não tem senso de responsabilidade??"

O médico sorriu e disse: "Desculpe, eu não estava no hospital e eu vim o mais rápido que pude depois de receber a chamada... E agora, eu gostaria que você se acalma-se para que eu possa fazer o meu trabalho"

"Me acalmar? E se fosse seu filho quem estivesse nesta sala agora, você estaria calmo? Se o seu filho fosse agora o que estivesse morrendo?" Disse o pai irritado

O médico sorriu novamente e respondeu:. "Eu vou dizer o que disse Jó na Bíblia "Do pó viemos e ao pó voltaremos, bendito seja o nome de Deus" Os médicos não podem prolongar a vida. Vou interceder por seu filho, vamos fazer todo o possível pela graça de Deus "

"Dar conselhos quando não estamos em situaçao é tão fácil", murmurou o pai.

A cirurgia levou algumas horas, depois que o médico saiu feliz, "Graças a Deus! Seu filho está salvo!"

E sem esperar por uma resposta do pai, com muita pressa olha para o relógio e foge. Ao mesmo tempo que vai, ele disse: "Se você tiver alguma dúvida, pergunte a enfermeira!"

"Por que é tão arrogante? Não podia esperar mais alguns minutos para eu pedir mais informações sobre o estado do meu filho"

E a enfermeira, cheia de lágrimas pelo seu rosto:

"O filho do Dr. morreu ontem em um acidente de estrada, o médico estava no cemitério quando você chamou para realizar a cirurgia do SEU FILHO. E agora que ele salvou a vida de seu filho, ele correu para terminar o sepultamento de seu filho."

Não julgue as pessoas, você não sabe qual é a realidade delas...

Nunca julgue ninguém, porque você nunca sabe nada sobre a vida dessa pessoa e o que está acontecendo na vida dela.



Temos o defeito,infelizmente, de julgar pessoas e acontecimentos, antes de sabermos qual a real verdade no que acontece ou aconteceu.
Por isso, precisamos primeiro averiguara situação   e saber bem quem realmente está certo,para que não cometamos erros e injustiças .
O que você fala ou fizer,pode trazer consequências irreversíveis tanto para quem é vítima como para quem acusa... pense nisso. 

Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz.
Há só um legislador que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?
Tiago 4:11-12



Provérbios sobre Falar
 
 
"Muito falar, muito errar."
"Bem fala quem bem cala."
 
"Muito falar, pouco acertar."
"A falar é que a gente se entende."
"Falar é semear; ouvir é colher."
"Antes que fales vê o que dizes."
"Muito falar, pouco pensar."
"É fácil falar; difícil é fazer."
"Falar é despender; escutar é adquirir."
"Antes de falar uma vez, pensa duas."
"Se o bem falar é ouro, o mal falar é lodo."
"Entre falar e fazer, há muito que dizer."
"Falar sem cuidar é atirar sem apontar."
"Antes de falar, põe-te um pouco a pensar."
"Não fales sem ser perguntado, e serás estimado."
"O bem falar, não custa muito e muito vale."
"Perder por falar, e perder por não falar, falar sempre."
"Quando falares do teu inimigo, pensa que, talvez, ainda serás seu amigo."
"Não costuma dizer muito, quem fala muito"
"Mal sabe falar quem não sabe calar."
"Falar bem não custa a ninguém."
"Há um falar e dois entenderes."
"Fala para que eu te conheça."
"A mau falar, boa resposta dar."
"Quem não sabe falar, é melhor calar."
"Quem muito fala, pouco obra."
"Quem muito fala, pouco acerta."
"Falar é prata, calar é ouro."
"Muito falar, pouco saber."
"Cada um, fala como quem é."
"Falar, não enche barriga."
"Muito falar enrouquece."
"Muito falar faz-nos dano."
"Falar pelos cotovelos."